17 de jun de 2014

Cities of Vampires | Capitulo 1 |



Amanda Keller p.o.v
Acordei com o meu celular tocando, peguei o mesmo e olhei na tela, era Julie, minha melhor amiga desde a quarta série.
- Ligação on -
- Eai vadia você não me liga mais, se esqueceu de mim quando estava lá na sua vó? Ou arrumou uma nova melhor amiga? - Julie com os seus ciúmes. 
- Desculpa, mais você sabe lá é difícil de achar sinal. 
- Eu com certeza não aguentaria ficar lá nem dois dias. -falou- Imagina a internet, deve ser lenta.
- Não tem internet lá Julie, e você sabe disso - falei com tédio, o que ela queria uma hora dessas? 
- Oh meu deus pior ainda -disse ela fazendo drama 
- Ok, Julie o que você quer? -perguntei já irritada, qual é eu tava com sono, ontem eu fora dormir tarde, não conseguia tirar os vampiros da minha cabeça.
- Vish, ta de TPM é amiga? 
- Eu só estou irritada por você ter me acordado cedo. -falei
- Cedo? Sabe que horas é? Já são 11 e 15 minha querida. -disse rindo
- 11 e 15? Oh meu deus que merda. eu deveria ter me acordado cedo, hoje é sábado e a biblioteca fecha as 11, merda.
- Pegar mais livros de romance? Sério, você já não tem todos ai nessa estante?
- Não iria pegar livros de romances 
- Ta vamos matar as saudade o que acha? Vamos passar o dia no shopping?
- tudo bem, que horas? - seria bom passear um pouco, talvez eu esquecesse dessa história de vampiro. O que era difícil.
- Daqui a pouco passo ai. - ela disse, podia garantir que ela já estava arrumada.
- Tudo, bem tenho algo para te falar - eu disse- agora vou me arrumar. Tchau
- Ok, tchau.
- Ligação off -
Peguei minha roupa que usaria, peças intimas e fui tomar meu banho, eu precisava relaxar. Me despi, e entrei no box, abri o chuveiro e deixei aquela água morna cai sobre meus ombros, como era bom estar confortável.
Eu havia sonhado com aqueles olhos vermelhos, nem nos meus sonhos eu não os esquecia, o que era isso? Por que justo eu fui ver esses par de olhos? Eu iria sim falar para Julie. Iria contar tudo. Ela era minha melhor amiga, confiava nela.
Depois de tomar meu banho, me vesti e fui ao encontro dos meus pais que todos os sábados e domingos não trabalhavam.
- Hey querida, acordou tarde hoje! Aonde vai toda arrumada? -minha mãe perguntou, nem estava tão arrumada, apenas uma calça jeans, uma regata branca, e meus vans que eu tanto amava.
- Julie me ligou querendo que eu fosse no shopping com ela. Ela quer matar as saudades.
- É bom você se diverti um pouco, por que eu quase não te reconheci lá na sua vó filha, estava tensa, e ontem quando volto de viajem também estava. O que aconteceu? -meu pai perguntou
- Posso falar quando eu chegar? É que daqui a pouco Julie está ai. 
- Tudo bem -eles falaram
- Filha pega o cartão de crédito, está lá no meu quarto - minha mãe disse.
- Tudo bem -subi e fui ao seu quarto, sempre arrumado do jeitinho que ela gostava, peguei o cartão de crédito, no qual eu já sabia a senha de tanto usar. E fui para sala. Julie já estava lá. Nem ouvi a campanhinha tocar. E quando ela me viu veio correndo me abraçar que nem uma louca. Errado. Julie era louca.
- Ah sua vaca, você me esqueceu, que saudades eu estava de você. -falou me abraçando forte pelo pescoço, me enforcando- você não vai falar nada? 
- Se vo--cê me deix--ass--e -falei gaguejando. Como eu disse Julie era louca.
- Oh meu deus você ta bem? -ela perguntou me largando
- To sim sua louca. E eu também estava com saudades, agora vamos - fomos indo até a porta
- Vamos. Tchau senhor. Keller, e tchau senhorita Keller.
- Tchau mãe e pai -me despedi fechando a porta atrás de nós vendo que um taxi já nos aguardava.
***
Quando chegamos no shopping, Julie já me arrastava para uma loja de roupas lindas por sinal, ela estava todo animada para olhar e provar, até me mostrava algumas coisas para mim. Mais eu não conseguia tirar da cabeça os olhos, os vampiros, aquela história. 
Depois de Julie já ter provado milhões de roupas, e eu apenas um vestido com alguns detalhes muito bonito, e ter comprado o mesmo, saímos da loja, nossos estômagos já roncavam então decidimos ir para um restaurante. 
Fizemos nossos pedidos, e Julie me olhava com uma nada boa como se quisesse uma resposta, sem nem ao menos ter uma pergunta.
- O que foi?
- Qual é, o que aconteceu nessa viajem? Você não é mais a mesma, era para você tar com a mesma quantidade de sacolas que eu estou, e para você estar rindo, se divertindo, mais você ta muito tensa o que ta acontecendo Amanda Keller?  -falou num tom autoritario
- Bom, hoje mais cedo  eu te disse que eu tinha algo para falar se lembra- ela assentiu- Então...Quando eu e meus pais fomos viajar, agente paramos nno posto de gasolina para reabastecer, eu e minha mãe descemos, ela foi ao banheiro e eu sentei num banco frente a um matagal, e eu vi alguém atrás da mata, Julie, ele estava me olhando, tinha olhos vermelhos, era um vampiro. -falei a ultima palavra baixo
E nesse exato momento Julie começou a rir que nem uma retardada, atraindo olhares de todo mundo daquele restaurante, o que me fez ficar com vergonha.
- Sé--ri--o? i--ss-o? -falou parando de rir aos poucos. - Oh eu não acredito você andou vendo crepúsculo demais foi?
- O que? Julie eu não estou brincando, eu tenho cara de estar brincando? eu sei que eu vi um, ele tava com os olhos vermelhos, nem pude enxergar direito o rosto por que o mato atrapalhava.
- Ok então senhora sabe tudo, como você sabe que era ele? Quem disse que não podia ser ela?
Quando eu ia falar o garçom trouxe nossos pedidos, esperamos ele colocar nossa conta na mesa e se afastar, para mim poder responder sua pergunta idiota.
- Eu sei por que tinha um perfil de homem Julie, os matos atrapalhavam sim, mais ele tinha um perfil de homem.
- Tudo bem, eu acredito em você -ela falou um pouco assustada, e começou a comer assim como eu- mais só me prometa uma coisa?
- O que?
- Vamos nos divertir hoje aqui nesse shopping, comprar, comer, por favor esqueça essa história por pelo até o resto do dia? -perguntou 
- Tudo bem- falei convencida. Acontece que eu iria tentar.
***
Exausta! Eu estava exausta, não me lembrava mais o quão dificil era ir ao shopping com Julie, ela fazia ir para tudo que é loja, confesso comprei bastante coisa também, mais ela compro o dobro -talvez eu tenha exagerado- era exatamente dez horas da noite e eu estava voltando para casa, o taxi já havia largado Julie na sua casa, e logo me largou na minha que não era tão longe assim. 
Abri a porta de casa, e meus pais olhavam televisão, dei um boa noite e disse que já decia, subi as escadas e coloquei as sacolas em cima da cama, tomei um banho e coloquei meu pijama. Desci as escadas, e meus pais ainda estavam olhando televisão me sentei no outro sofá.
- Como foi o shopping filha? -papai perguntou
- Foi bom, mais cansativo - Eles riram, conheciam muito bem a Julie.
- Filha você tem algo a nos dizer lembra? -mamãe me lembrou. Ótimo eu teria que falar para eles. Eu confiava neles.
- Mãe, pai vocês acreditam em vampiros? -perguntei e logo eles arregalaram os olhos e se olharam com medo
- É claro que não querida, da onde você tirou isso? -mamãe falou nervosa como se tivesse escondendo alguma coisa, eu conhecia ela.
- Filha, vampiros existem apenas em livro -papai riu fraco escondendo algo também. 
A pergunta é: O que eles estariam me escondendo?
- Por que vocês tão pálidos? Parece até nervosos, como se tivessem escondendo algo.
- Não filha capaz -e minha mãe ficou mais nervosa ainda, como se fosse possível.
- E se eu dissesse que vi um? - Perguntei
- Aonde? - papai perguntou
- A uma semana atrás quando estavamos naquele posto de gasolina, quando eu estava sentada naquele banco na frente de um matagal, eu vi um par de olhos vermelhos.
- Isso não existe Amanda, acabe com essa loucura de uma vez -papai alterou seu tom de voz.
- Por que vocês estão nervosos? O que vocês estão me escondendo? 
- Nada Amanda, agora suba para o seu quarto. Tenho que conversar com seu pai. AGORA. -gritou minha mãe.
- Vocês estão me escondendo algo e eu vou descobrir -falei por fim e subi para o meu quarto.
Sentei na frente da janela, e ouvi os gritos de papai e mamãe brigando lá em baixo, a última vez que eu ouvi os brigando foi quando eu tinha 10 anos, e eu sempre chorava. Algumas lágrimas queriam descer, mais não seria mais a garotinha que chora pelos pais estarem brigando. 
O céu estava azul, um azul escuro, e sentada na frente da janela pude observar uma estrela cadente. E do nada um pedido idiota passou pela minha cabeça.
" Eu queria poder conviver com os vampiros por algum tempo, para pelo menos saber se eles ainda existem " .
Até parece que uma estrela cadente iria me ajudar.

-----------------------------------------
Oii amores da minha vida <3
Obrigada por estarem comentando e acompanhando essa fic *-*
Queria pedir um favor para vocês,  por favor divulguem o blog, ele precisa crescer é muito importante para mim assim como os comentários de vocês <3
Espero que gostem desse capitulo 
Beijos amo vocês <33

3 comentários:

Hey amores cada comentário seu é importante para mim, com o seu comentário posso saber o que precisa melhorar na Fan fic, comentem é muito importante para mim <3